Técnicas para a implantação e adubação de pastagens

Algumas Técnicas de Pastejo são necessárias para se implantar uma grande área de pastagem

 

Para se ter uma grande área de pastagem, deve ser feito procedimentos para verificar as deficiências nutricionais do solo.

 

A primeira coisa a ser feita quando se quer ter uma grande área de pastagem é preparar o solo. Faz-se uma análise desse solo para que seja identificado as propriedades e deficiências nutricionais contidas no mesmo. Lembre-se: Essa análise será sua melhor amiga ao longo do percurso de preparo do solo e cultivo da plantação. A partir do resultado, analisa-se o grau de fertilidade. Dependendo deste, deve-se realizar procedimentos para que seja feita a correção do solo.


Dependendo das análises descobertas, faz-se a compactação do solo em que será plantado a forrageira. Esse processo é feito caso seja constatado que se trate de um solo arenoso. A compactação também é aconselhada antes e após o plantio da forrageira. Esse cuidado é muito importante pela característica das sementes forrageiras (pequeno tamanho) de possuírem pouca reserva para a germinação, principalmente, as gramíneas. Como regra geral, em qualquer tipo de solos, é recomendada uma compactação imediatamente após o plantio (Pastagem – Seleção e Sementes de Plantas Forrageiras, Implantação e Adubação).

 

 

O processo de compactação do solo pode ser feita antes e depois do plantio da forrageira.

 

O preparo do solo para a formação da pastagem, propriamente dita, é uma etapa muito importante. Nesse momento serão incorporados e destruídos restos de culturas ou pastagens anteriores. Juntamente ao preparo do solo, deve-se realizar sua conservação por meio da curva de nível e terraços. Para esses procedimentos, é necessário que a topografia do local seja analisada.


Mas, depois do solo estar em perfeitas condições, o que deve ser plantado?

Para escolher a planta que será plantada naquele determinado solo, deve-se voltar à análise feita. Com a análise em mãos, faça perguntas concernentes às propriedades do solo descritas no documento, que são:

 

 

Deve-se analisar a topografia da área para se preparar o solo.

 

Qual a topografia da área?

Como é a fertilidade da área?

O terreno é seco ou úmido?

Você irá plantar para atender quais das suas necessidades?

Quantos tipos de gramíneas a propriedade possui?

Qual o nível de exploração que você pretende impor ao pasto? (Manual de Pastagem – Formação, Manejo e Recuperação).

 

Essas perguntas devem ser respondidas, tendo em vista que cada gramínea tem características de crescimento diferente. Ao escolher a gramínea que se adapte melhor, relacionando às questões anteriores, melhor será a sua produção de pastagem. As forrageiras respondem de maneiras adversas para teores diferentes de nitrogênio, fósforo, potássio e enxofre. A aplicação desses nutrientes no solo deve ser diretamente ligada à forrageira que se pretende cultivar.


Para a implantação de pastagens, os micronutrientes que serão fornecidos às plantas devem

 

A adubação ajuda no fornecimento de nutrientes para a planta, além de protegê-la contra possíveis pragas.

 

ser aplicados diretamente no solo. Somente o molibdênio pode ser fornecido via semente, mas também pode ser fornecido via solo. A adubação é o meio maior, mais rápido e mais econômico para o aumento da produtividade e qualidade das pastagens em climas tropicais; entretanto, o sucesso dessa prática se inicia com a amostragem correta do solo, continua com as práticas corretivas (calagem, gessagem e fosfatagem) e termina com a aplicação do fertilizante mineral. (Manejo de Pastagem)

 

Não podemos falar em implantação de pastagens sem mencionar as pragas, comuns a maioria das propriedades. As pragas podem ser relacionadas a desequilíbrios da natureza. Quando ocorre um grande desmatamento, muitos insetos perdem suas moradas e sua alimentação. Para não morrerem, recorrem a alimentos próximos. Como normalmente ocorre desmatamento de grandes espaços para dar lugar à plantações de pastagens, é comum que os insetos recorram a essas plantas.


É natural que as pastagens sofram com as pragas. Existem várias maneiras de combater tais insetos, como: a arborização da propriedade, que atrai animais predadores dos insetos; uma boa adubação das plantas, fazendo com que as mesmas tenham uma recuperação mais rápida face ao ataque das pragas; e o controle químico; e o controle mecânico. Existem outras maneiras, cada uma específica para o controle de certa praga. A eficiência das mesmas também é relativa a qual praga que se quer acabar.

 

 

Por: Raquel Torres C. Bressan

Receba Mais Informações

A Aprenda Fácil Editora garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Fique por dentro das novidades! (Artigos, notícias, dicas, promoções e muito mais)

Aprenda Fácil Editora © 2002 - 2017. Todos os direitos reservados
Rua Dr. João Alfredo, 130, Ramos - Viçosa - MG / CEP: 36570-000
CNPJ: 05.052.622/0001-87

Empresa Genuinamente Brasileira
Atendimento Online
Quer Facilidade