Formulação de ração para bovinos no período da seca

A ração para bovinos pode ser feita com farelo e quirera de arroz, com 12% e 8% de proteína bruta respectivamente

Formulação de ração para bovinos no período da seca

Graças ao clima propício ao cultivo de grãos e volumosos, o Brasil é grande produtor de matéria-prima para formulação de ração para bovinos. Os principais volumosos produzidos no país são cana-de-açúcar, milho, sorgo e pastagem. Já os concentrados são constituídos de suplementos vitamínicos, minerais, proteicos e energéticos. Estes dois últimos são fontes de energia e proteína.

Porcentagem de proteína bruta


Os suplementos energéticos são deficientes em proteína; já os proteicos são ricos em energia e proteína, elemento fundamental para a manutenção da saúde do rebanho. Na verdade, os bovinos necessitam de, pelo menos, 6% de proteína bruta para ganharem vigor. No período das águas, o pasto oferece cerca de 8% de proteína ao gado, o que não ocorre na estiagem (menos de 6% de proteína).

Alimentação no período seco


Como no período da seca a pastagem está em declínio, o teor de proteína é baixo. Consequentemente, tanto o rebanho de leite como o de corte perdem peso. Com isso, as vacas apresentam queda na produção de leite e os bovinos de corte, perdas no ganho de peso vivo. Para evitar que isso aconteça, há uma alternativa econômica e eficiente de alimentação para o gado na estiagem: ração balanceada.

Formulação com farelo e quirera de arroz


Um bom exemplo é a ração cuja formulação contém farelo e quirera de arroz, com 12% e 8% de proteína bruta, respectivamente. A ureia também é acrescentada como fonte de nitrogênio para favorecer a metabolização de proteína no organismo do bovino. A proporção recomendada é 29% de xerém, 17% de farelo de arroz, 11% de ureia, 29% de sal e 14% de micronutrientes e fósforo.

Consumo diário de ração


Para que o bovino não perca peso, ele deve consumir 250g da ração diariamente. Se não estiver acostumado com essa dieta, o animal deve passar por um período de adaptação. De que forma? Nos 10 dias iniciais, a ureia deve ser reduzida pela metade. Além disso, o tamanho dos cochos deve ser de 25 cm por cabeça, para que todo o rebanho seja devidamente nutrido. Outra recomendação é cobrir os cochos para evitar o contato da ração com a água.

Conheça o Livro AFE Perguntas e Respostas sobre Alimentação do Gado na Seca.

Leia o artigo "Matérias-primas de origem líquida para a produção de ração: o melaço."

Fontes: revistaagropecuaria.com.br; nordesterural.com.br

Por Andréa Oliveira.

Livros Relacionados

Fabricação de Rações e Suplementos para Animais - Gerenciamento e Tecnologia

Livro

Fabricação de Rações e Suplementos para Animais - Gerenciamento e Tecnologia

30% DE DESCONTO
De R$ 74,00 por R$ 51,80 à vista ou em até 12x de R$ 4,32 sem juros no cartão + frete
Saiba mais

Matérias-Primas para Produção de Ração - Perguntas e Respostas

Livro

Matérias-Primas para Produção de Ração - Perguntas e Respostas

30% DE DESCONTO
De R$ 64,00 por R$ 44,80 à vista ou em até 12x de R$ 3,73 sem juros no cartão + frete
Saiba mais

Perguntas e Respostas sobre Alimentação do Gado na Seca

Livro

Perguntas e Respostas sobre Alimentação do Gado na Seca

30% DE DESCONTO
De R$ 61,00 por R$ 42,70 à vista ou em até 12x de R$ 3,56 sem juros no cartão + frete
Saiba mais

Deixe seu comentário

Avise-me, por e-mail, a respeito de novos comentários sobre esta matéria.

Receba Mais Informações

Se preferir, clique aqui e mande-nos um WhatsApp.
A Aprenda Fácil Editora garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Fique por dentro das novidades! (Artigos, notícias, dicas, promoções e muito mais)

Aprenda Fácil Editora © 2002 - 2019. Todos os direitos reservados
Rua Dr. João Alfredo, 130, Ramos - Viçosa - MG / CEP: 36570-254
CNPJ: 05.052.622/0001-87

Empresa Genuinamente Brasileira
Atendimento Online
Quer Facilidade