Centro de Produções Técnicas
Atendimento Online
Transformando Conhecimento em Negócios

Notícia

HOME / Notícias / Como escolher a espécie de eucalipto em relação ao uso?
Como escolher a espécie de eucalipto em relação ao uso?

Saiba qual espécie de eucalipto é adequada em relação ao uso

Publicada:28/05/2013

Tamanho da letra Diminuir Aumentar

Durante a fase de planejamento de um projeto de reflorestamento, deve-se ter em mente a finalidade da produção

Durante a fase de planejamento de um projeto de reflorestamento, deve-se ter em mente a finalidade da produção. Se o objetivo for a produção de madeira ou de outros produtos de base florestal, deve-se observar os aspectos do mercado consumidor, principalmente em termos de distância da unidade de beneficiamento ou utilização. Uma vez decidido isso, parte-se para um estudo visando conhecer quais espécies poderiam ser indicadas para o referido fim.


Para se obter o maior retorno econômico possível, deve-se levar em consideração, quando da escolha da espécie, os seguintes pontos:


  • custo inicial de plantio e de manutenção;
  • retorno possível com a aplicação de desbastes, se for o caso;
  • período de tempo decorrido entre a implantação e a colheita; e
  • valor da madeira ou do produto colhido, quando a floresta estiver no ponto de ser cortada.


Visando subsidiar o planejador quanto à escolha da espécie a ser indicada para determinado fim, ou seja, a produção de madeira ou de outro produto de base florestal, segue-se uma lista de algumas espécies, agrupadas de acordo com suas possibilidades de utilização.

 

Escolha da Espécie, Quanto ao Uso


Produção de lenha e de carvão vegetal


Dentre as espécies de eucalipto introduzidas no Brasil, com potencial para a produção de carvão vegetal, cita-se: Eucalyptus camaldulensis, E. deglupta, E. globulus, E. tereticornis, E. urophylla, E. paniculata, E. pellita, E. pilularis, E. citriodora, E. maculata, E. exserta, E. brassiana, E. crebra, E. tesselaris, E. saligna, E. cloeziana, e E. grandis, além de vários híbridos naturais ou obtidos por meio da polinização controlada entre matrizes selecionadas. As características desejáveis de uma espécie a ser usada para produção de lenha e carvão vegetal são a densidade, o poder calorífico e o teor de lignina, que quanto maiores melhor. De forma simples, pode-se dizer que quanto mais pesada é a madeira, melhor será para lenha e carvão vegetal.


Produção de celulose


Os trabalhos relacionados com a produção de celulose no Brasil vêm destacando, principalmente, as espécies de eucalipto. Dentre estas espécies, pode-se sugerir como potenciais para este tipo de uso: Eucalyptus alba, E. saligna, E. grandis, E. urophylla, E. globulus, e E. dunnii. Além das espécies, hoje tem-se utilizado muito de seus híbridos, que combinam boas características de crescimento com excelentes características industriais, como por exemplo o E. grandis x E. urophylla (chamado vulgarmente de urograndis). Testes, ainda em andamento, buscam o aproveitamento das boas características tecnológicas do E. globulus. Esta espécie é bastante exigente em termos de clima, não se adaptando à grande maioria do Brasil. Neste sentido tem-se buscado a produção de híbridos desta espécie com E. urophylla. No caso da produção de celulose, deve dar preferência por madeira que apresenta densidade variando de 0,40 a 0,58 g/cm3, com alto teor de celulose e baixo teor de lignina, além de apresentar coloração clara, o que facilita o processo de branqueamento da celulose.


Postes


Para a obtenção de postes, várias espécies podem ser consideradas adequadas, dentre elas as seguintes: Eucalyptus camaldulensis, E. microcorys, E. paniculata, E. resinifera, E. punctata, E. cloeziana, E. citriodora, E. pilularis, E. tereticornis, E. propinqua, E. maidenii, e E. maculata. Com a aplicação de preservativos da madeira, muitas outras espécies podem ser trabalhadas e tornar-se adequadas para postes. Ressalta-se que para que a madeira seja usada como poste para redes de distribuição de energia, deve-se observar o disposto na Norma NBR 8456, de 1984, da Associação Brasileira de Normas Técnicas.


Estacas e moirões


A exemplo do que ocorre com as espécies adequadas para postes, diferentes espécies têm sido tratadas com preservativo de madeira, tornando-se ótimas para estacas e moirões, para a confecção de cercas. Mas, existem espécies que mesmo sem tratamento, apresentam grande durabilidade quando em contato com o solo, como o Eucalyptus citriodora, o E. maculata, e o E. paniculata. Vale lembrar que também para madeira a ser usada como estacas e moirões, existe a Norma NBR 9480, de 1986, da Associação Brasileira de Normas Técnicas, que regulamenta este uso.


Serraria


Para serraria existe um grande número de espécies adequadas de eucalipto: Eucalyptus grandis, E. dunnii, E. saligna, E. resinifera, E. urophylla, E. citriodora, E. maculata, E. paniculata, E. cloeziana, E. camaldulensis, E. globulus, E. propinqua,, E. punctata, E. tereticornis, E. pilularis, E. maidenii, E. microcorys, e E. robusta. Muitos híbridos de eucalipto têm sido estudados e propagados com o objetivo de serem usados em serraria.


Óleos essenciais


Os óleos essenciais produzidos por espécies de eucalipto são divididos em óleos medicinais, óleos industriais e óleos para perfumaria. Para a produção de óleos medicinais podem ser usados: Eucalyptus camaldulensis, E. dumosa, E. globulus, E. leucoxylon, E. oleosa, E. sideroxylon, E. smithii, E. tereticornis, E. viridis, os quais apresentam como componente principal o cineol. Os óleos industriais são obtidos de Eucalyptus dives (var. felandreno) e E. radiata subesp. radiata (var. felandreno) que apresentam como componente principal o felandreno, ao passo que as espécies Eucalyptus dives (var. piperitona) e E. elata (var. piperitona) apresentam a piperitona como componente principal. No caso dos óleos para perfumaria, são usados E. citriodora, que produz o citronelal e o E. staigeriana, que produz o citral (Vitti e Brito, 2003).


Caixotaria, lápis, caixa e pálito de fósforo


Para estes fins, as espécies de eucalipto mais indicadas são: Eucalyptus grandis, E. dunnii, E. pilularis e E. resinifera. Alguns híbridos também têm sido trabalhados com este objetivo.


Construções


Para a construção civil, em geral, há um grande número de espécies adequadas, como por exemplo: Eucalyptus alba, E. camaldulensis, E. cloeziana, E. citriodora, E. deglupta, E. maculata, E. microcorys, E. paniculata, E. botryoides, E. pilularis,  E. resinifera, E. robusta, E. tesselaris, e E. tereticornis.


Móveis


Para a fabricação de móveis várias são as espécies adequadas e utilizadas: Eucalyptus saligna, Eucalyptus grandis, E. deglupta, E. dunnii, E. camaldulensis, E. tereticornisE. citriodora, E. maculata, E. microcorys, E. paniculata, E. pilularis, E. resinifera, e E. exserta; e vários dos híbridos de Eucalyptus.


Para mais informações adquira o livro Cultivo de Eucalipto, Implantação e Manejo. De maneira prática, essa obra ajuda o produtor abordando as operações necessárias para a implantação da cultura do Eucalipto.

 


Produtos Relacionados

Planejamento e Instalação de Viveiros

Planejamento e Instalação de Viveiros

Investimento: R$ 46.00

Cód. 1266


Produção de Mudas para Arborização Urbana

Produção de Mudas para Arborização Urbana

Investimento: R$ 46.00

Cód. 1257


Cultivo de Eucalipto Implantação e Manejo

Cultivo de Eucalipto Implantação e Manejo

Investimento: R$ 72.00

Cód. 1386







Enviando...

FALE CONOSCO

© 2014 - Aprenda Fácil Editora - Rua Dr. João Alfredo, 130, Ramos - Viçosa, MG

CNPJ: 05.052.622/0001-87

A AFE liga para você!





Exemplo: 31 38997000